Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NAVEGAR É PRECISO

Turismo de Cruzeiro: Cabo Verde poderá representar uma alternativa para Madeira e Canárias

turismocruzeiro.jpg

Cabo Verde poderá representar uma alternativa para Madeira e Canárias no tráfego de cruzeiros de médio percurso, regionais e transatlânticos, desde que aproveite o momento de crescimento do tráfego internacional de cruzeiros, sobretudo no corredor do Atlântico.

 

Quem o afirma é o presidente do Conselho de Administração da Enapor, Jorge Pimenta Maurício, que encabeçou uma delegação cabo-verdiana que participou, na Florida (EUA), na 33ª edição da Seatrade Cruise Global.

Trata-se da maior feira de cruzeiros do mundo, que reúne empresas e instituições “relevantes” no sector do turismo de cruzeiro e uma “excelente oportunidade” de fazer contactos para o desenvolvimento do negócio.

 

Desta vez, e como forma de potenciar este negócio, os portos nacionais associaram-se à Cruise In the Atlantic Islands, que integra as ilhas da Madeira, Las Palmas, Tenerife e Cabo Verde, já que, apontou a mesma fonte, a promoção conjunta do destino faz parte da estratégia de desenvolvimento.

“O que faz sentido, porque o negócio de cruzeiros faz-se em todo o mundo, com base em regiões e itinerários próprios dos países que compõem as regiões”, sintetizou Pimenta Maurício.

É que, explicou, este tipo de promoção encerra vantagens como notoriedade para os países que recebem o turismo de cruzeiro, imagem de marca do destino, poder de lobby, alargamento da network, conhecimento e seguimento de novas tendências do negócio e partilha de custo de promoção e consequente redução dos mesmos.

 

Cabo Verde, segundo PCA da Enapor, é um país que apresenta “excelentes condições” naturais para o desenvolvimento do turismo de cruzeiro e, além da sua localização geográfica, possui um clima e um cenário natural, propiciadores da prática deste turismo “em plena expansão” em todo o mundo.

As vantagens proporcionadas pelo cenário natural, concretizou, incluem, por exemplo, praias, montanhas, mas o país está dotado de infra-estruturas capazes de oferecer um “excelente serviço” aos visitantes.

 

Durante o ano de 2016, Cabo Verde recebeu nos seus portos 77.423 passageiros e 127 escalas de navios.

O porto que possui maior movimento é o Porto Grande, em São Vicente, com 48.627 passageiros e 56 escalas, mas os restantes portos, segundo dados da Enapor, tem vindo a registar um aumento nas diversas escalas e passageiros que recebem.

 

A participação de Cabo Verde no Seatrade Cruise Global enquadrou-se na política de expansão do turismo de cruzeiro e objectivou aumentar o número de Cruzeiros nos portos nacionais, atraindo turistas para o arquipélago, aumentar a frequência com que os navios escalam os portos, potenciar os diversos portos como escala para navios de cruzeiros e contribuir para o desenvolvimento económico do país.

Para além do presidente da Enapor, a comitiva cabo-verdiana ao Seatrade Cruise Global de Florida incluiu ainda a presidente da Associação da 3C-Santiago, Conceição Monteiro, e a vereadora do pelouro da Cultura, Economia Criativa, Empreendedorismo, Modernização e Reforma Administrativa da Câmara Municipal da Praia, Débora Sanches.

 

AA/JMV

Com a devida vénia à Inforpress

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Tags

mais tags

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D